Dicas de Segurança

Início / Notícias Criado em: 02-09-2020 às 14h:04

Nesta página você encontra dicas de segurança. Elas são muito importantes para que você aprenda a se prevenir contra acidentes, saiba como detectá-los e aprenda como agir em situações de risco. Não pense que os acidentes só acontecem com os outros; fique atento e lembre-se: em caso de emergência, ligue 193.

Folders das Dicas de Segurança

Clique nas imagens para ampliá-las.

Acidentes Automobilísticos Acidentes Domésticos Dicas Afogamento Dicas Incêndio Dicas Incêndios Florestais Trote

 

Dicas

Bombeiro, o amigo certo nas horas incertas

Buscando informar a população sobre a segurança no trânsito e sua importância para se evitar acidentes, o Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais (CBMMG) orienta que antes de viajar, procure saber se a estrada por onde você irá passar não está obstruída por alguma queda de barreira, já que quando o volume de chuva no país é muito grande, podem ocorrer interdições parciais em alguns trechos da estrada.

Uma das grandes causas de acidentes e transtornos durante as viagens são os defeitos existentes no veículo e seus acessórios, chuvas, neblinas e a imprudência dos condutores.

Para evitar acidentes e garantir uma viagem tranquila, siga estas orientações:

Inspecione os itens do seu carro:

  • Equipamentos de segurança (extintor, triângulo, cintos de segurança);
  • Freios (nível de óleo, pastilhas, lonas, regulagem, nível do fluido, possíveis vazamentos e freio de mão);
  • Sistema elétrico (faróis, lanternas, setas, luz de freio, luz de ré, luzes de emergência e buzina);
  • Pneus, estepe, alinhamento da direção, balanceamento das rodas, amortecedores;
  • Motor (nível de óleo do motor, correias, mangueiras, ruídos anormais, regulagem, velas e cabos);
  • Limpadores de pára-brisa (borracha em bom estado), retrovisores externos e internos;
  • Cinto de Segurança dos bancos da frente e de trás;
  • Marcador de combustível, Velocímetro, encosto de cabeça;
  • Radiador (nível da água com o carro desligado).

Ao detectar qualquer problema mecânico mais sério, recorra a uma oficina mecânica especializada e solucione o problema antes de viajar.

Ultrapassagem

  • A manobra de ultrapassagem deve ser rápida e segura. Só retorne à pista após localizar o veículo ultrapassado pelo retrovisor;
  • Sinalize com antecedência sua intenção de ultrapassar;
  • Ultrapasse sempre pela esquerda e apenas nos trechos permitidos;
  • Certifique-se de que a faixa da esquerda está livre, e de que há espaço suficiente para a manobra;
  • Não ultrapasse pelo acostamento das estradas, sobre pontes ou viadutos;
  • Com chuva, a ultrapassagem é mais perigosa e exige atenção redobrada, pois o veículo da frente provoca uma cortina d'água que dificulta a visibilidade.

Neblina

  • Mesmo durante o dia mantenha os faróis baixos acesos;
  • Fique a uma distância segura do veículo à frente;
  • Abra um pouco os vidros para evitar o embaçamento;
  • Não trafegue pelo acostamento;
  • Evite realizar ultrapassagens;
  • Não ligue o pisca-alerta com o veículo em movimento;
  • Não pare na pista. Se for necessário, procure locais seguros, acenda os faróis e utilize os equipamentos de segurança, como pisca-alerta e triângulo.

Chuva

  • Reduza a velocidade;
  • Aumente a distância dos veículos à frente;
  • Acenda os faróis baixos;
  • Acione o limpador de pára-brisas e o desembaçador;
  • Mantenha as janelas com abertura suficiente para a circulação de ar e evitar o embaçamento;
  • Os pneus podem perder o contato com o asfalto quando está chovendo ou a pista está molhada - aquaplanar - e perder a direção é comum. Nessa situação deve-se manter a marcha engrenada; diminuir a aceleração, sem frear; acender os faróis; girar suavemente a direção para a esquerda e para a direita até conseguir controlar o veículo.
ATENÇÃO

Planejamento: planeje a viagem, inclusive períodos de descanso. Prefira viajar de dia, em condições de boa visibilidade.

No volante: mantenha sempre a calma e evite conversas e distrações, não descuide da sinalização, não pare na pista e não trafegue no acostamento.

Sono: aos primeiros sinais de cansaço, pare em um lugar seguro para relaxar.

Ultrapassagens: ultrapasse somente em locais permitidos e quando tiver certeza das condições de segurança.

Álcool e direção: A ingestão de álcool, mesmo em pequenas quantidades, diminui a coordenação motora e os reflexos.

Cinto: O cinto de segurança é um importante fator na prevenção de mortes nas estradas e deve ser utilizado inclusive no banco de trás.

Celular: O uso do celular ao dirigir reduz a atenção do motorista e contribui para aumentar o risco de colisão.

Em casos de ACIDENTES DE TRÂNSITO:

LIGUE 193
  • Ao deparar com acidente mantenha a calma;
  • Sinalize o local(a uma distância de, pelo menos, 200 m), isso evita outros acidentes;
  • Se houver vítimas, acione o Corpo de Bombeiros Militar;
  • Mantenha a vítima calma e informe-a que o socorro esta a caminho;
  • Havendo outros voluntários trabalhe em equipe;
  • Não execute primeiros socorros se você não for treinado, isso pode agravar a situação da vítima.

Esses são alguns cuidados básicos e simples, que devem ser considerados para reduzir o número de acidentes e tragédias nas estradas.

Bombeiro, o amigo certo nas horas incertas!

Redação: Assessoria de Comunicação Organizacional.

Dicas

Escolha do local para nadar

  • Procure um local conhecido por você ou por outra pessoa, desde que ela o acompanhe.
  • Não ultrapasse faixas e placas de avisos.
  • Não entre em locais onde há avisos de perigo de morte ou em águas poluídas.
  • Procure sempre local onde existe a presença de Guarda-Vidas, ou o Corpo de Bombeiros.

Mudança de comportamentos

  • Evite nadar sozinho;
  • Não tome bebida alcólica antes de entrar na água;
  • Não se afaste da margem;
  • Não salte de locais elevados para dentro da água;
  • Não tente salvar pessoas em afogamento sem estar devidamente habilitado;
  • Prefira lançar flutuadores para salvar pessoas ao invés da ação corpo a corpo;
  • Identifique nas proximidades a existência do salva-vidas e permaneça próximo a ele;
  • Evite brincadeiras de mau gosto ("caldos", "trotes", "saltos");
  • Acate as orientações dos Bombeiros ou dos Salva-vidas;
  • Não abuse se aventurando perigosamente;
  • Não deixe as crianças sozinhas;
  • Evite navegar com carga em excesso;
  • Só deixe entrar na embarcação pessoas usando coletes salva-vidas;
  • Somente conduza embarcações se for habilitado para tal.

Dicas

Utilizando a eletricidade com segurança

  • Nunca mexa na parte interna das tomadas, seja com os dedos ou com objetos (tesouras, agulhas, facas, etc.);
  • Nunca deixe as crianças brincarem com as tomadas. Vede todas as tomadas com protetores especiais ou um pedaço de esparadrapo largo;
  • Ao trocar lâmpadas, toque somente na extremidade do suporte (de porcelana ou plástico) e no vidro da lâmpada elétrica. Se possível, desligue a chave geral antes de fazer a troca;
  • Nunca toque em aparelhos elétricos quando estiver com as mãos ou o corpo molhados;
  • Não mude a chave de temperatura (inverno/verão) do chuveiro elétrico com o corpo molhado e o chuveiro ligado;
  • Mantenha os aparelhos elétricos em bom estado para evitar sobrecarga, mau contato e curto-circuito. Não hesite em mandar consertá-los sempre que apresentarem problemas ou causarem pequenos choques;
  • Verifique sempre os fios elétricos que ficam à vista. Com o tempo, a sua capa protetora se desgasta. Nunca deixe um fio elétrico descoberto;
  • Instale o fio terra em chuveiros e torneiras elétricas;
  • Ao manusear objetos metálicos, tenha cuidado para que não esbarrem em nenhum cabo elétrico aéreo;
  • Nunca pise em fios caídos no chão, principalmente se a queda foi conseqüência de uma tempestade;
  • Não usar tomadas e fios em mau estado ou de bitola inferior à recomendada;
  • Nunca substituir fusíveis ou disjuntores por ligações diretas com arames ou moedas;
  • Não sobrecarregar as instalações elétricas com vários utensílios ao mesmo tempo, pois os fios esquentam e podem ocasionar um incêndio;
  • Em vez de ligar vários eletrodomésticos num “T” ou benjamim, prefira instalar um disjuntor residencial, conhecido como DR;
  • Ao usar o ferro de passar roupa, esteja sempre com os pés calçados. Nunca deixe o ferro elétrico ligado quando tiver que se ausentar para realizar outra tarefa, mesmo que seja por alguns minutos, isso pode causar grandes incêndios;
  • Observe se os orifícios e grades de ventilação dos eletrodomésticos (como T.V., vídeo e forno de microondas) não se encontram vedados por panos decorativos, cobertas, etc.;
  • Não deixar lâmpadas, velas acesas e aquecedores perto de cortinas, papéis e outros materiais combustíveis;
  • Se a casa ficar desocupada por um período prolongado, desligue a chave elétrica principal.
  • Não faça ligação clandestina (gatos).
  • Antes de fazer qualquer ligação elétrica ou instalação de enfeites e alegorias, contate a Cemig.

Observação: Caso seja necessário remover do local uma vítima de descarga elétrica, envolva as mãos em jornal ou em um saco de papel. Empurre a vítima para longe da fonte de eletricidade com um objeto seco, não-condutor de corrente, como um cabo de vassoura, tábua, corda seca, cadeira de madeira ou bastão de borracha, de modo que não a machuque.

 

Perigos com pipas, papagaio e cerol

Atenção: O uso do cerol é proibido - Lei Estadual 14.349/02. Os responsáveis por menores que se envolverem em acidentes relacionados com o uso do cerol serão responsabilizados.

Evitando acidentes com pipas e papagaios

  • Não solte pipas em dias de chuva, principalmente se houver relâmpagos.
  • Evite brincar perto de antenas, fios telefônicos ou cabos elétricos. Procure locais abertos como praças e parques.
  • Tente soltar pipa sem rabiola, como as arraias. Na maioria dos casos, a pipa prende no fio por causa da rabiola.
  • Não empine pipa em cima de lajes e telhados.
  • Jamais utilize linha metálica, como fio de cobre de bobinas ou cerol (mistura de cola com caco de vidro). Também não faça pipas com papel laminado. O risco de choque elétrico é grande.
  • Cuidado com ruas e lugares movimentados, principalmente quando andar para trás. Pode haver algum buraco ou pista.
  • Atenção especial com os motociclistas e ciclistas — a linha pode ser perigosa para eles. Fique atento para que a linha não entre na frente deles.
  • Se a pipa enroscar em fios, não tente tirá-la. É melhor fazer outra. Nunca use canos, vergalhões ou bambus. Ao correr atrás das pipas, muito cuidado com o trânsito.

Cuidados com Trios elétricos, carros alegóricos e alegorias de grande porte

  • Evite trafegar debaixo da rede elétrica, pois a altura desses veículos poderá ser próxima ou maior que a dos fios elétricos;
  • Nunca pare debaixo da rede elétrica;
  • Em caso de acidente, a simples proximidade à rede elétrica pode gerar um choque. Mantenha uma distância segura da rede.
  • Não jogue, aproxime ou acione serpentinas, confetes, balões, foguetes, rojões e outros adereços carnavalescos em direção à rede elétrica, assim como outros objetos condutores ou não de energia, pois isso poderá causar curto circuito e rompimento dos cabos;

Em casos de colisão de veículos com postes (abalroamento)

  • Não saia do veículo. Se houver um cabo partido em contato com o veículo você poderá tomar um choque;
  • Em situação de incêndio do veículo, abra a porta e pule com os pés juntos, o mais distante possível, sem tocar a lataria do carro;
  • Se estiver do lado de fora do veículo que está em contato com os cabos, não encoste no veículo, pois ele poderá estar energizado;
  • Não tente socorrer vítimas que estiverem em contato com fios partidos. Acione imediatamente a Cemig e o Corpo de Bombeiros Militar.

Em casos de vítimas de choque elétrico, o que fazer ?

  • Se houver parada cardiorrespiratória, aplique as manobras de ressuscitação. As manobras devem ser realizadas, por pelo menos, uma pessoa devidamente treinada;
  • Cubra as queimaduras com uma gaze ou com um pano bem limpo;
  • Se a pessoa estiver consciente, deite-a de costas, com as pernas elevadas. Se estiver inconsciente, deite-a de lado;
  • Se necessário, cubra a pessoa com um cobertor e mantenha-a calma;
  • Isole o local e desligue o aparelho da tomada ou a chave geral;
  • Acione o Corpo de Bombeiros Militar imediatamente, por meio do telefone de emergência: 193;
  • Para corte da energia, ligue para Companhia Energética de Minas Gerais (CEMIG), no telefone 116.

Dicas

 botijão de gás: Saiba utilizar

Compra Segura

  • É importante que você tenha a certeza de que está comprando gás de uma companhia comprometida com qualidade e segurança.
  • Confira se a marca estampada em relevo no botijão é a mesma do lacre e da etiqueta do mesmo.
  • No momento da compra, esteja atento: todo botijão deve trazer lacre exclusivo e inviolável com a marca sobre a válvula.

Para a sua segurança:

  • Recuse botijões sem lacre, com o lacre sem marca ou com o lacre violado (lacre quebrado ou solto);
  • Verifique se o botijão possui etiqueta com instruções para manuseio do produto;
  • Verifique se o botijão possui a marca estampada em relevo;
  • Compre somente de revendedores autorizados e identificados;
  • Não compre GLP em pontos de venda informais ou clandestinos.

Instalações sem risco

  • Após instalar, faça o teste de vazamento, passando espuma de sabão ao redor da conexão válvula de saída de gás/regulador de pressão de gás.
  • Caso surjam bolhas, repita a operação de instalação. Se o vazamento continuar, desconecte o regulador de pressão de gás e verifique se existe vazamento na válvula.
  • Caso o vazamento ainda continue, leve o botijão para um lugar ventilado, deixando o regulador de pressão de gás desconectado e chame a assistência técnica do seu fornecedor de gás.
  • Jamais passe a mangueira por trás do fogão. Se for necessário alterar a posição de entrada de gás, chame profissionais credenciados pelo fabricante do fogão.

Quando o gás acabar

  • Quando a alimentação dos queimadores do fogão estiver insuficiente, provavelmente o gás acabou.
  • Não tente forçar a saída de gás.
  • Nunca vire ou deite o botijão: se ainda existir algum resíduo de gás, ele poderá escoar na fase líquida, o que anula a função do regulador de pressão, podendo provocar graves acidentes, assim como, entupir com impurezas o regulador, a mangueira e os queimadores.
  • Nunca aqueça o botijão.

Troca do botijão

  • Antes de trocar o botijão, certifique-se de que todos os botões dos queimadores do fogão estão desligados.
  • Nunca efetue a troca do botijão na presença de chamas, brasas, faíscas ou qualquer outra fonte de calor.
  • Nunca role o botijão. Transporte-o sempre na posição vertical.
  • Retire o lacre de segurança do botijão levantando a própria aba do anel externo e gire-a no sentido anti-horário até o disco central sair completamente.
  • Retire o regulador de pressão do gás do botijão vazio e, em seguida, encaixe e rosqueie-o sobre a válvula do botijão cheio.
  • Use apenas as mãos. NÃO utilize ferramentas como martelo ou alicate.
  • Antes de trocar o botijão, examine sempre as condições da mangueira e do regulador de pressão de gás, verificando sempre o prazo de validade e as condições de conservação.

Vazamento – como proceder?

  • Por ser um produto inodoro (sem cheiro), é adicionado ao GLP um composto à base de enxofre (etil-mercaptana) para caracterizar seu cheiro. Dessa forma, é possível detectar eventuais vazamentos.
  • Para verificar se há vazamentos de gás, passe uma esponja com água e sabão sobre a conexão válvula/regulador de pressão de gás. Se houver vazamento, aparecerão bolhas. Não tente eliminar vazamentos de maneira improvisada.
  • Nunca utilize fósforo, isqueiro ou vela para verificação de vazamento de gás.

Vazamento de gás sem fogo

  • Mude para "fechado" a alavanca do regulador de pressão de gás;
  • Afaste as pessoas do local;
  • Desconecte o regulador de pressão de gás da válvula de saída de gás e, caso continue o vazamento, retire o botijão para um local aberto, ventilado e longe de fonte de ignição.
  • Não acione interruptores de eletricidade e não ligue nem desligue nenhum equipamento eletrônico ou outros que possam produzir faísca;
  • Desligue a chave geral de eletricidade somente se ela estiver fora da residência;
  • Não fume, nem acenda fósforos ou isqueiros;
  • Se ocorrer em ambiente fechado, abra portas e janelas;
  • Alerte as pessoas sobre o vazamento;
  • Entre em contato com a assistência técnica do seu fornecedor de gás e, em casos mais graves, com o Corpo de Bombeiros Militar (193).

Vazamento de gás com fogo

  • Afaste as pessoas do local;
  • Se possível, feche o registro de gás do regulador de pressão de gás;
  • Chame o Corpo de Bombeiros (193);
  • Desligue a chave geral da eletricidade;
  • Retire do local todos os materiais combustíveis;
  • Não deite o botijão, pois isso pode agravar o incêndio.

Como acender o fogão e o forno

  • Abra o registro de gás do regulador de pressão de gás;
  • Abra a porta do forno, se for usá-lo;
  • Acenda o fósforo. Aproxime o fósforo aceso do queimador que será usado ou utilize o sistema elétrico de acendimento;
  • Gire o botão do queimador ou do forno.

Onde armazenar o botijão?

  • Coloque o botijão sempre em locais ventilados, para facilitar a dispersão do gás em caso de vazamento e:
  • Nunca armazene o botijão em compartimentos fechados (armários, gabinetes, vãos de escada, porões, etc.);
  • Nunca coloque o botijão próximo a tomadas, interruptores e instalações elétricas (mantenha distância mínima de 1,50m);
  • Nunca instale o botijão próximo a ralos ou grelhas de escoamento de água (mantenha distância mínima de 1,50m). Por ser mais pesado que o ar, o gás pode se depositar nesses locais. Assim, qualquer chama ou faísca poderá provocar um acidente;
  • De preferência, o botijão deve ficar do lado de fora da cozinha em local arejado, coberto e protegido das intempéries.

Dicas para seu dia-a-dia

  • Não deixe que as crianças tenham acesso ao fogão, nem ao botijão e à instalação;
  • Não acenda o forno ou os queimadores do fogão com isqueiro;
  • Não coloque panos de prato ou outros objetos que possam pegar fogo próximos ao botijão, na tampa do fogão ou perto dos queimadores;
  • Feche o registro de gás sempre que não estiver usando o fogão;
  • Nunca instale um botijão com a mangueira passando por trás do fogão;
  • Evite instalar o fogão próximo a correntes de vento;
  • Mantenha sempre o cabo das panelas voltado para dentro;
  • Nunca utilize fogareiro ou lampião diretamente sobre botijões de 13kg;
  • Nunca encha em demasia as panelas. Pode ocorrer derramamento e a chama se apagar;
  • Ao sair de casa, nunca deixe panela no fogo ou forno aceso;
  • A certeza da procedência do botijão é sua maior garantia de segurança e qualidade;
  • Verifique sempre a presença das marcas estampadas no botijão;
  • As instalações de gás sofrem desgaste com o tempo. Para sua maior segurança, faça revisões periódicas;
  • Procure somente pessoas habilitadas para realizar qualquer conserto ou modificação nas instalações destinadas ao gás de cozinha;
  • Nunca utilize fósforo, isqueiro ou equipamento que produza faísca para verificação de vazamento de gás.

Assista também ao nosso vídeo e saiba mais!

Dicas

Saiba como se divertir em balneários com cuidado e segurança, evitando riscos de afogamentos:

Balneários:

  • No barco, caiaque ou lancha, use sempre os equipamentos de segurança. Se o barco virar, você não corre o risco de se afogar.
  • Nunca tire os equipamentos de segurança nem mergulhe em águas desconhecidas.
  • Obedeça a sinalização nas praias, represas e rios, pois dela também depende a sua vida.
  • Mantenha distância das pedras e bocas de rios, pois o que lhe parece bonito e atrativo constitui também um perigo de afogamento.
  • Nunca entre na água após as refeições. Quando estiver na praia ou pescando num rio, coma somente alimentos leves e beba moderadamente. Dessa maneira, não terá congestão nem perderá o equilíbrio.
  • Não deixe crianças pequenas e que não sabem nadar brincarem sozinhas na praia, na beira de rios, lagos ou piscinas.
  • Os Bombeiros e guarda-vidas trabalham para garantir a sua segurança nas praias e locais de banho; porém, se não contarem com a colaboração de todos, muitas pessoas continuarão a morrer afogadas.

Escolha o local para nadar:

  • Procure um local conhecido por você ou por outra pessoa, desde que ela o acompanhe;
  • Não ultrapasse faixas e placas de avisos;
  • Não entre em locais onde há avisos de perigo de morte ou em águas poluídas;
  • Procure sempre local onde existe a presença de Guarda-Vidas, ou o Corpo de Bombeiros;
  • Evite nadar sozinho;
  • Não tome bebida alcoólica;
  • Não se afaste da margem;
  • Não salte de locais elevados para dentro da água;
  • Não tente salvar pessoas em afogamento sem estar devidamente habilitado;
  • Prefira lançar flutuadores para salvar pessoas ao invés da ação corpo a corpo;
  • Identifique nas proximidades a existência do guarda-vidas e permaneça próximo a ele;
  • Evite brincadeiras de mau gosto ("caldos", "trotes", "saltos");
  • Acate as orientações dos Bombeiros ou dos Guarda-vidas;
  • Não abuse se aventurando perigosamente;
  • Não deixe as crianças sozinhas;
  • Evite navegar com carga em excesso;
  • Só deixe entrar na embarcação pessoas usando coletes guarda-vidas;
  • Somente conduza embarcações se for habilitado para tal.

Em caso de emergência, ligue imediatamente para o Corpo de Bombeiros Militar, através do número 193.

Bombeiro, o amigo certo nas horas incertas!

Dicas:

  • Dê ciência a alguém de sua família e diga quando deve retornar;
  • Não faça caminhadas e atividades de exploração sozinho, o ideal é estar em grupos que tenham condições físicas homogêneas;
  • Em áreas desconhecidas, procure sempre um guia;
  • Leve sempre mochila com alimentação, líquido, equipamento de comunicação e lanterna;
  • Caso necessário, ligue 193;
  • Se você se perder, lembre-se: manter a calma é a melhor forma de sair da situação de risco.
  • Oriente-se por sons conhecidos (carros, fábricas, sirenes, etc );
  • Peça socorro de forma pausada, a fim de ouvir se há uma resposta;
  • Busque trilhas "batidas" ou siga um curso d'água, assim você terá sempre uma refêrencia;
  • Deixe marcas por sua passagem que possa indicar o seu caminho;
  • Não corra na mata;
  • Antes da caminhada verifique as condições do tempo;
  • Evite bebidas alcoólicas;
  • Planeje sua rota: consulte seu mapa e roteiro durante a viagem;
  • Acampe longe de árvores de galhos grandes e mortos, principalmente durante ventanias;
  • Proteja os recursos da floresta - comunique incêndios, vandalismos e crimes ecológicos.

Dicas

Para evitar a compra de material clandestino, é importante observar se o local de venda é credenciado. Nas lojas credenciadas, os vendedores são treinados para orientar aos usuários sobre as medidas de segurança. Essas casas possuem iluminação blindada contra explosões, extintores e porta corta-fogos para evitar a propagação de incêndios.

Precauções

  • Sempre leia e siga as instruções na embalagem;
  • Sempre use fogos em locais abertos;
  • Sempre armazene fogos em local frio e seco;
  • Sempre solte fogos sob a supervisão de adultos e de acordo com a sua idade;
  • Nunca tente reutilizar os fogos que tenham falhado;
  • Nunca atire fogos na direção de outras pessoas;
  • Nunca atire fogos de lugares fechados, como carros ou residências;
  • Nunca faça experiências, modifique ou tente fazer seus próprios fogos de artifício;
  • Nunca utilize fogos após ingerir BEBIDAS ALCÓOLICAS;
  • Não desmonte os fogos;
  • Não fume dentro dos estabelecimentos que vendem fogos;
  • Antes de usar um produto, leia cuidadosamente as instruções impressas nas embalagens e tenha cuidado ao segurar os fogos, para evitar acidentes.

Em caso de acidentes

  • Enquanto não houver atendimento no hospital, cubra a queimadura com um pano limpo;
  • Nunca fure as bolhas! Elas servem para proteger a área queimada;
  • Não retire roupas grudadas, fragmentos de objetos ou graxas das lesões;
  • Não use pomadas sem ordem médica, nem toque as lesões com as mãos;
  • Procure Socorro Médico;
  • Se houver sangramento, faça um curativo com gaze ou um pano bem limpo;

Lesões causadas

  • Queimaduras;
  • Amputação dos dedos e até da mão;
  • Se uma bombinha explodir próximo de seus olhos, poderá causar cegueira;
  • Trauma acústico.

Saiba mais sobre fogos de artifício:

Cada tipo de produto Pirotécnico tem uma classificação, de acordo com o seu poder de explosão ou queima. Essa classificação é adequada à idade do usuário e segue os padrões da norma do Ministério do Exército, R 105. Todo produto deve possuir na embalagem sua classificação, que pode ser:

  • Classe A ( Infantil ) - Podem ser vendidos a menores e sua queima é livre (recomendável assistência de adultos).
  • Classe B (Juvenil) - Podem ser vendidos a menores, mas a sua queima é proibida em terraços, portas ou janelas que tenham proximidade com vias públicas (também sob a assistência de adultos).
  • Classe C (Adulto) - Venda proibida a menores de 18 anos.
  • Classe D (Profissionais) - Venda proibida a menores de 18 anos em qualquer hipótese. Só pode ser queimado com licença prévia da autoridade competente.

No carro:

  • Evite surpresas desagradáveis. Mantenha seu veículo em boas condições de uso, fazendo periodicamente a manutenção preventiva;
  • Pratique e ensine a retirada do extintor de seu suporte.
  • Verifique todo mês o estado de conservação do extintor, seguindo as instruções contidas no rótulo do fabricante, e observando se:
  1. O ponteiro indicador de pressão permanece na faixa verde, o que indica estar devidamente pressurizado;
  2. O lacre de inviolabilidade permanece intacto;
  3. A aparência geral do extintor não apresenta sinais de oxidação (ferrugem), riscos ou amassados;
  4. O bico da válvula permanece desobstruído;
  5. As instruções de operação estão legíveis;
  6. As datas-limites de Garantia, Validade e Teste Hidrostático estão dentro do prazo;
  • Durante a verificação mensal, agite o extintor para manter o pó químico sempre em boas condições de uso;
  • Saiba distinguir se o extintor é novo ou recondicionado, por intermédio dos selos do INMETRO;
  • Não teste seu extintor. Mesmo uma pequena descarga poderá acarretar um vazamento da pressão interna, tornando-o inoperante;
  • Nunca atire ou deixe um extintor próximo do fogo de maneira descuidada, mesmo que descarregado. O calor do fogo aumentará a pressão interna do cilindro, podendo causar uma explosão;
  • Use o extintor na vertical - nunca "deitado" ou de "cabeça para baixo".

Em casa:

  • Não deixe cortinas compridas ou tapetes sobre fios elétricos, e nem passe os fios atrás de móveis;
  • Não esqueça ferro de passar roupa ligado.
  • Evite vazamentos de gás de cozinha; verifique-os usando espuma de sabão, nunca fogo;
  • Produtos químicos e inflamáveis devem ser mantidos em recipientes apropriados, bem fechados e longe do alcance de crianças;
  • Ao acender a lareira ou a churrasqueira, não use líquidos inflamáveis como álcool, solventes e outros - de preferência use álcool gel;
  • Não limpe o piso de sua casa com gasolina ou solventes; os vapores com o ar formam misturas explosivas;
  • Se possível, coloque seu botijão fora de casa, obedecendo às orientações do fabricante para sua instalação;
  • Nunca ponha papel-alumínio ou algum metal dentro do forno de microondas;
  • Não fume na cama ou quando estiver com sono.

Lembrete:

Feche o registro do gás quando for dormir ou não estiver usando. Vazamentos ocorrem normalmente depois do regulador de pressão e, portanto o botijão nem sempre é o culpado. A explosão não é do botijão; normalmente é a mistura do gás com o ar, que queima numa fração de segundo, causando a explosão. Ao chegar em casa, se sentir cheiro de gás, não acenda a luz, pois isso pode ocasionar explosão.

No escritório:

  • Não sobrecarregue os circuitos elétricas;
  • Desligue todo equipamento elétrico da tomada, ao término do expediente;
  • Não permita que fios elétricos cruzem a passagem, pois, ao serem pisados, terão a capa protetora comprometida;
  • Equipamentos elétricos aquecidos indicam problemas; chame um eletricista ou zelador;
  • Não deixe lâmpadas acesas encostadas em papéis, nem próximas a eles;
  • Verifique se o conteúdo dos cinzeiros está apagado antes de esvaziá-los nos restos de lixo;
  • Evite sobrecarregar a fiação elétrica, ligando vários aparelhos numa só tomada;
  • Não faça nem autorize que se façam instalações elétricas provisórias;
  • Não armazene amostras de produtos químicos, solventes, etc;
  • Mantenha os arquivos e as prateleiras fechados

Na Indústria:

  • Não guarde estopas nem trapos impregnados de óleo, de cera ou de outros combustíveis;
  • Conserve combustíveis e inflamáveis em recipientes próprios, fechados, em ordem e devidamente rotulados;
  • Não jogue no esgoto: líquidos Inflamáveis e combustíveis se inflamam facilmente e poderão produzir explosão;
  • Não faça instalações elétricas de emergência, porque elas sobrecarregam o circuito, provocando aquecimento e fogo;
  • Por ocasião de serviços de corte e solda, peça auxílio à segurança para preparar o local;
  • Utilize um sistema de permissões e precauções para os trabalhos de corte e solda;

Dicas

Atenção: O uso do cerol é proibido - Lei Estadual 14.349/02. Os responsáveis por menores que se envolverem em acidentes relacionados com o uso do cerol serão responsabilizados.

Com os ventos mais fortes, é comum a prática de uma brincadeira muito tradicional entre as crianças e adolescentes, que é a de empinar pipas. Porém, se certas regras não forem respeitadas, acidentes podem acontecer.

Quando a pipa está com sua linha ao natural ela apresenta perigos maiores para as crianças que estão brincando, pois exige que o olhar e a atenção estejam voltados para o alto. Um segundo de distração pode gerar um acidente, como a queda de lugares altos (árvores, muros, casas, torres) e a travessia na frente de carros, causando o atropelamento.

No entanto, há uma maneira dessa brincadeira se tornar ainda mais perigosa: é a prática de colocar cerol (mistura geralmente de cola com vidro em pó ou finos de metais) na linha para que ela fique cortante e derrube as demais pipas.

A prática de aplicar cerol à linha pode transformá-la em uma arma letal, caso corte, por exemplo, o pescoço de um motoqueiro ou ciclista. Ainda há o risco de o próprio “empinador” do brinquedo se cortar e também as pessoas que disputam quem pegará as pipas desprendidas das linhas que caem.

Porém, os perigos do uso do cerol não se limitam a cortar alguém na rua. O cerol também é um condutor de energia e, se a linha pegar na rede elétrica, a pessoa que está empinando a pipa pode morrer eletrocutada. Com o pó metálico é ainda pior.

Para brincar tranquilo, sem o perigo de ferir alguém, só com barbante de algodão. Nem os fios de nylon (de pesca) são indicados, pois cortam tanto, ou mais, que o próprio cerol.

Evitando acidentes com pipas e papagaios

  • Não solte pipas em dias de chuva, principalmente se houver relâmpagos.
  • Evite brincar perto de antenas, fios telefônicos ou cabos elétricos. Procure locais abertos como praças e parques.
  • Não empine pipa em cima de lajes e telhados.
  • Tente soltar pipa sem rabiola, como as arraias. Na maioria dos casos, a pipa se prende aos fios elétricos por causa da rabiola.
  • Jamais utilize linha metálica, como fio de cobre de bobinas ou cerol (mistura de cola com caco de vidro). Também não faça pipas com papel laminado. O risco de choque elétrico é grande.
  • Se a pipa enroscar em fios, não tente tirá-la. É melhor fazer outra. Nunca use canos, vergalhões ou bambus.
  • Cuidado com ruas e lugares movimentados, principalmente quando andar para trás. Pode haver algum buraco ou pista.
  • Atenção especial com os motociclistas e ciclistas — a linha pode ser perigosa para eles. Fique atento para que ela não entre na frente deles.
  • Ao correr atrás das pipas, muito cuidado com o trânsito.
  • Recomendamos aos motociclistas o uso de ANTENAS ANTILINHAS.

Em casos de emergência, ligue 193.
Bombeiro Militar, o amigo certo nas horas incertas!

Dicas

Nesta página você encontra dicas e vídeos de segurança. eEles são muito importantes para que você aprenda a se prevenir contra acidentes, saiba como detectá-los e aprenda como agir em situações de risco. Não pense que os acidentes só acontecem com os outros, fique atento e lembre-se: em caso de emergência ligue 193.

Clique aqui e confira o nosso folder com dicas e orientações de segurança.

Período de Chuvas

Antes das chuvas

  • Faça limpeza dos telhados;
  • Desobstrua as calhas;
  • Mantenha limpos os ralos, esgotos, galerias, valas, etc;
  • Retire entulhos dos quintais, áreas, becos e ruas;
  • Providencie a poda ou corte de arvores com risco de queda;
  • Reforce (ou escore) muros e paredes pouco confiáveis.

Durante chuvas intensas

  • Mantenha um membro da família atento e vigilante ao nível de subida das águas, mesmo a noite;
  • Tenha sempre lanternas e pilhas em condições de uso;
  • Armazene água potável;
  • Mantenha os objetos de maior valor em partes mais elevadas;
  • Desligue a energia elétrica;
  • Procure abrigo em local alto e seco.

Se estiver no carro

  • Procure um local alto e espere o nível da água baixar;
  • Não pare o carro próximo de postes ou árvores;
  • Poças de água podem ocultar crateras;
  • Ao atravessar poças, mantenha a aceleração contínua em primeira marcha;
  • Dirija devagar, fique longe do carro da frente e evite locais baixos.

Sob risco de inundações ou desabamento

  • Nos casos de maior gravidade (havendo infiltração, rachadura ou barulhos estranhos), abandone sua residência;
  • Quem mora às margens de rios e próximo a encostas também deve sair de casa;
  • Procure manter a calma acima de tudo;
  • Providencie a evacuação do local e retirada de pessoas que ainda estão correndo risco;
  • Transmita alarme aos vizinhos em caso de súbita elevação das águas;
  • Na iminência de ser levado pelas águas, procure se agarrar em algum obstáculo ou flutuar.

Cuidados

Em caso de Tempestades
  • Se estiver chovendo forte ou trovejando, fique dentro de sua casa ou procure um lugar onde você possa se abrigar, desde que não seja uma área de risco.
  • Evite viajar durante chuvas fortes e nunca dirija por estradas alagadas.
  • Se notar que seu carro poderá ser arrastado pelas águas, pare, abandone o veículo e procure um local seguro.

Cuidado com Raios

  • Desligue aparelhos elétricos das tomadas;
  • Fique longe de janelas;
  • Não fique próximo de árvores ou postes, porque eles atraem raios;
  • Não fique em pé em campo aberto;
  • Evite campos de futebol, praias e outros locais abertos;
  • Não retire roupas de varais de arame durante as chuvas fortes;
  • Mantenha distância de alambrados, cercas, linhas telefônicas e elétricas, assim como estruturas metálicas em geral;
  • Permaneça dentro do carro, já que automóveis oferecem excelente proteção contra raios;
  • Não fique dentro da água;
  • Use o telefone somente em casos de emergência.

Deslizamentos de terra e desmatamento

  • Evite desmatar os morros, pois sem vegetação o solo fica sujeito a deslizamentos;
  • Jamais plante bananeiras nas encostas: elas deixam a terra mais frágil;
  • Fique atento para os sinais de perigo, como árvores, paredes, postes ou muros inclinados, portas e janelas emperradas e paredes com trincas ou barrigas;
  • Rochas também são muito perigosas, especialmente se estiveram muito expostas na terra, em local sem vegetação e acima de sua casa;
  • Abandone a área de risco com rapidez, mas sem correrias. Ninguém deve se preocupar em levar objetos;
  • Evacue a área, evitando que pessoas desabilitadas ou curiosos entrem no local.

Prevenção

  • Mantenha ralos e calhas limpos, para que o fluxo de água não seja interrompido;
  • Tenha cuidado ao realizar a limpeza no telhado, evitando quedas;
  • Não jogue lixo em calçadas, bueiros, rios, córregos ou galerias;
  • Fique atento às notícias pelo rádio ou televisão sempre que puder, principalmente em dias de chuvas fortes. Isso pode evitar que você se coloque em situação de risco;
  • Limpe os locais atingidos pela água e lama usando botas e luvas, assim você evita doenças graves, como a leptospirose;
  • Não reaproveite alimentos que possam ter sido atingidos pelas águas das chuvas, mesmo os que estão fechados em pacotes, pois algumas embalagens podem ser de material absorvente, o que propicia a contaminação;
  • Febres, diarreia, vômitos e dores de cabeça ou no corpo, após o contato com águas de inundação, podem indicar doenças, como a leptospirose e hepatite A, e a pessoa deve ser encaminhada ao posto de saúde mais próximo.

Use Corretamente

  1. Aproxime-se do foco do incêndio cuidadosamente.
  2. Posicione-se no sentido do vento e ataque a base do fogo.
  3. Movimente o jato em forma de leque.
  4. Assegure-se de que não houve reignição.

Dicas

  • Fumaça "branca sem cheiro" é vapor de água (radiador). Fumaça "escura", densa, com cheiro forte é princípio de incêndio.
  • Estacione o veículo em local seguro, retirando os passageiros; não provoque acidentes.
  • Mantenha a calma, lembrando sempre que o tanque de combustível, em geral, está bem longe do motor.
  • Retire o extintor do suporte; rompa o lacre destravando a válvula. Use o extintor na vertical - nunca "deitado" ou "de cabeça para baixo".
  • Através de uma pequena abertura no capô do motor, aplique parte do agente extintor, provocando o abafamento do fogo.
  • Abra cuidadosamente o capô, localize o foco de incêndio e elimine-o por completo.

Dicas

Saiba como prevenir contra as queimadas

Entre os meses de abril e outubro, o clima fica realmente seco e as chuvas se tornam escassas, o que deixa a vegetação suscetível às queimadas.

As queimadas são, juntamente com os desmatamentos, os nossos principais problemas ambientais, por isso cada cidadão deve estar bem informado sobre como prevení-las.

Corpo de Bombeiros Militar repassa algumas dicas importantes para realizar a prevenção:

  • Ao trafegar pelas estradas e rodovias, não lance pontas de cigarro pela janela do veículo, pois com a baixa umidade desse período, a vegetação seca se incendeia com muita facilidade.
  • Ao realizar acampamentos, seja bastante cuidadoso na hora de acender fogueiras, velas e lampiões. Só acenda as fogueiras após limpar bem o local, retirando completamente a vegetação em volta. Procure fazer sua fogueira em local aberto, como por exemplo, numa clareira ou à beira do rio, para que o fogo não prejudique os galhos e folhas das árvores que estejam em volta ou acima dela. Quando não for mais utilizar a fogueira, certifique-se que as brasas estão apagadas e resfriadas. Se possível, enterre as sobras de material (carvão, brasas e cinza). Não jogue os restos da fogueira no rio. Nunca se ausente do acampamento, deixando para trás a fogueira acessa ou com torrões em brasa.
  • Não jogue lixo por aí. As latas de metal, os cacos e garrafas de vidro podem se aquecer ao sol e acabar dando origem às queimadas.
  • Não solte balões, além de perigoso é crime conforme a Lei de Crimes Ambientais (Lei Federal nº 9605/98). O balão pode cair aceso em florestas, residências e indústrias, produzindo grandes prejuízos patrimoniais, ameaça ao nosso meio ambiente e até mesmo colocando a integridade física e a vida das pessoas em risco.
  • Quando for realizar alguma queima controlada para renovo de pastagem ou para limpeza de alguma área, procure antecipadamente o Programa de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais de Minas Gerais (Previncêndio), que é formado pelo Corpo de Bombeiros Militar, Instituto Estadual de Florestas, Secretaria Estadual de Meio Ambiente, Polícia Militar, Polícia Civil, Coordenadoria Estadual de Defesa Civil, Prefeitura Municipal e parceiros privados.

Pequenas atitudes podem fazer grandes diferenças. Seja sempre um amigo da natureza. Faça a coisa certa!

Bombeiro, o amigo certo nas horas incertas!

Dicas

queimadura está entre os acidentes domésticos mais comuns e caracteriza-se por lesões nos tecidos que envolvem diversas camadas do corpo, como a pele e suas camadas, cabelos, pelos, músculos e olhos, entre outros. Geralmente, elas são causadas pelo contato direto com brasa, fogo, vapores quentes, sólidos superaquecidos ou incandescentes; mas podem ser causadas também por substâncias biológicas (caravelas e águas-vivas), químicas (ácidos, soda cáustica e outros), emanações radioativas (raios infravermelhos e ultravioletas) ou pela eletricidade.

Portanto, as queimaduras podem ter origem térmica, química, radioativa ou elétrica. Saber diferenciar os tipos de queimadura é muito importante para que os primeiros socorros sejam realizados corretamente.

Tipos de queimaduras:

As queimaduras podem ser classificadas de acordo com o tipo de lesão causada.

  1. Queimadura de Primeiro Grau: A lesão atinge apenas a camada mais superficial da pele (epiderme), apresentando vermelhidão local, ardência, inchaço, calor local e dor. Pode ocorrer em pessoas que se expõem ao sol por tempo prolongado e sem proteção. Quando atinge grande parte do corpo é considerada grave.
  2. Queimadura de Segundo Grau: A lesão atinge as camadas mais profundas da pele (derme). A característica desse tipo de queimadura é a presença de bolhas, inchaço e dor intensa. Como atinge a camada superficial da pele, que protege contra a perda excessiva de água, pode ocorrer também perda de água e de sais minerais e provocar um quadro de desidratação grave. Esse tipo de queimadura pode ser causada pela exposição a vapores, líquidos e sólidos escaldantes.
  3. Queimaduras de Terceiro Grau: Nesse tipo de queimadura, ocorre lesão de toda a pele, atingindo os tecidos mais profundos como os músculos. Curiosamente, esse tipo pode não ser doloroso, já que as terminações nervosas, que geram a dor, são destruídas junto com a pele. A cicatrização geralmente é desorganizada. Normalmente requer a realização de cirurgias, com enxerto de pele retirada de outras regiões do corpo.

Procedimentos em casos de queimadura:

Se a queimadura for causada por líquido superaquecido (água quente, alimentos quentes):

  • Esfrie imediatamente a área queimada com água fria ou corrente, com a finalidade de neutralizar a ação do calor;
  • Isole ou proteja a área queimada com um pano limpo;
  • Não alimente a vítima;
  • Encaminhe imediatamente a vítima para o hospital.

Se a queimadura for causada por substância inflamável (álcool, gasolina, thinner):

  • Apague a chama com um pano limpo úmido (de preferência);
  • Esfrie a lesão com água gelada ou corrente;
  • Proteja a área queimada com um pano limpo;
  • Não alimente a vítima;
  • Encaminhe imediatamente a vítima para o hospital.

Se a queimadura for causada por substância química (ácidos e bases):

  • Lave exaustivamente a área queimada com água corrente;
  • Proteja a área queimada com um pano limpo;
  • Não alimente a vítima.

Se a queimadura for causada por corrente elétrica (fios e tomadas descobertas):

  • Desligue a fonte de energia (chave elétrica) ou afaste a fonte de energia (fio elétrico) com um isolante (pedaço de madeira), antes de socorrer a vítima.

Se a queimadura for causada por agentes biológicos (água-viva, caravela):

  • Lave a área queimada com água corrente;
  • Proteja a área queimada com um pano limpo.

Se a queimadura for causada por fogos de artifício:

Explosivos:

  • Além da queimadura, existe nesse tipo de trauma a laceração e a perda de tecidos, associados à lesão. É bastante comum a amputação dos dedos e até mesmo da mão, e a lesão das estruturas ósseas, entre outros traumas, com presença de hemorragia;
  • Proteja a área queimada com um pano limpo;
  • Caso haja lesão da mão ou dos dedos, eleve o braço para diminuir a hemorragia.

Não explosivos:

  • Esfrie a área queimada com água gelada ou corrente;
  • Proteja a lesão com um pano limpo;

Em todos os casos, deve-se encaminhar o paciente para um hospital. Acione o Corpo de Bombeiros Militar imediatamente pelo telefone de emergência 193.

Cuidados básicos com as crianças:

As crianças menores de 5 anos correm mais riscos devido a vários fatores como: possuírem pele mais fina, tempo de reação, pouca agilidade e, principalmente, a curiosidade. Por isso, alguns cuidados devem ser observados:

  • Não prepare alimentos quentes com a criança nos braços ou no colo;
  • Mantenha as crianças longe da cozinha, principalmente na hora do preparo das refeições. A maior parte das queimaduras causadas por líquidos superaquecidos ocorrem nesse intervalo de tempo;
  • Não deixe ao alcance das crianças substâncias inflamáveis utilizadas para limpeza, como o álcool. Guarde-as em local seguro. Por produzirem chama quando em combustão, essas substâncias servem de atrativo para as crianças, especialmente na época das festas juninas;
  • Não deixe crianças soltarem fogos de artifício, principalmente do tipo explosivo. Além das queimaduras, eles causam lesões graves nas mãos, nem sempre passíveis de recuperação;
  • Não deixe fios e tomadas descobertos, porque podem causar lesões graves nas mãos e boca das crianças;
  • Não exponha a criança ao sol por muito tempo, principalmente entre 10h e 15h.

Crianças abaixo de 1 ano:

  • Não segure a criança no colo enquanto estiver ingerindo líquido quente ou cozinhando;
  • Evite aquecer a mamadeira ou os alimentos no forno de micro-ondas, pois o aquecimento não é uniforme;
  • Teste a água do banho com o dorso da mão ou com termômetro antes de molhar a criança;
  • Mantenha objetos aquecidos, como ferros de passar, pranchas de cabelo e mesmo cigarros, longe do alcance da criança;
  • Mantenha produtos de limpeza fora de seu alcance;
  • Use protetor nas tomadas elétricas.

Crianças com idade entre 1 e 3 anos:

  • Nunca deixe a criança sozinha na banheira. Elas podem ligar a água quente, cair ou se afogar rapidamente;
  • Ensine a criança a não puxar objetos como toalha de mesa, fios e outros;
  • Deixe os cabos das panelas voltados para o lado interno do fogão. Não permita a presença de crianças próximas ao fogão e churrasqueiras.

Crianças com idade entre 3 e 5 anos:

  • Nessa idade, elas podem começar a ser treinadas na prevenção de incêndios e queimaduras, pois já têm idade para reconhecer o som de um detector de fumaça;
  • Use apenas isqueiros com dispositivo protetor de acendimento acidental;
  • Ensine à criança as diferenças entre brinquedo e palito de fósforo.

Crianças com idade entre 5 e 12 anos:

  • Planeje e pratique as saídas em caso de incêndio;
  • Converse sobre a segurança na cozinha;
  • Ensine a elas como usar corretamente e com segurança o micro-ondas, forno elétrico e aquecedores;
  • Mantenha líquidos inflamáveis fora de vista e de acesso.

Cuidados gerais:

  • Evite fumar, principalmente deitado;
  • Utilize cinzeiros fundos e com proteção lateral;
  • Em queimaduras elétricas, retire o fio da tomada ou desligue a energia geral. Nunca toque na vítima enquanto ela estiver em contato com a eletricidade. Toda vítima de queimadura elétrica deve ser levada ao hospital;
  • Evite manipular álcool próximo a cigarros, charutos, fósforos acesos, churrasqueiras e fogueiras;
  • Não utilize álcool líquido diretamente sobre o fogo, na forma de jato, devido ao risco de explosão;
  • Investigue vazamentos de gás. Feche a válvula do botijão antes de sair de casa e antes de ir dormir;
  • Mantenha o botijão de gás longe do calor direto e sempre na vertical;
  • Manipule os fogos de artifício com cuidado;
  • Evite o uso de bronzeadores caseiros;
  • Nunca considere uma queimadura um acidente sem importância;
  • Fogo e bebida não combinam. Evite.

ATENÇÃO: O que NÃO fazer em caso de queimadura:

  • Nunca aplique produto caseiro como sal, açúcar, pó de café, pasta de dente, pomadas, ovo, manteiga, óleo de cozinha ou qualquer outro, pois eles podem complicar a queimadura e dificultar um diagnóstico mais preciso. As soluções caseiras para diminuir a dor e a ardência das queimaduras podem piorar e até causar infecção no local atingido;
  • Não tente tratar a vítima sem ter o conhecimento médico-científico necessário para a cura da lesão;
  • Não aplique gelo diretamente sobre o local, pois isso pode piorar a queimadura;
  • Se houver roupa grudada na região da queimadura, não remova. Apenas corte a mesma ao redor da lesão;
  • Nunca fure as bolhas;
  • Não demore em pedir auxílio especializado. Em caso de dúvida, sempre procure o hospital. Quando mais tardio for o início do tratamento, pior. Queimaduras na face, genitália, mãos e pés são sempre consideradas graves, devendo ser procurado atendimento hospitalar imediatamente;
  • Evite também pomadas ou remédios naturais, assim como qualquer medicação que não for prescrita por médicos;
  • Em caso de ingestão de produtos cáusticos ou queimaduras em boca e olhos, lavar o local com bastante água corrente e procurar atendimento médico imediato;
  • Não toque a área afetada;
  •  
  • Não respire a fumaça em caso de incêndios. Lembre-se que a inalação de fumaça pode causar queimaduras nos pulmões e brônquios, mesmo que não haja queimadura externa visível. Caso o ambiente esteja com muita fumaça, pode-se diminuir a inalação com um pano molhado próximo do nariz e boca e se locomovendo agachado, com o nariz bem próximo ao chão (onde a concentração de fumaça é menor);
  • Não tente retirar pedaços de roupa grudados na pele. Se necessário, recorte em volta da roupa que está aderida à pele queimada;
  • Não cubra a queimadura com algodão;

Centros de Queimaduras no Estado de Minas Gerais:

Confira os hospitais especializados no atendimento em casos de queimadura.

Em caso de emergência, ligue para o 193.

Dicas

O calor e a florada influenciam no surgimento de enxames itinerantes e no aumento do número de insetos nas colmeias. O calor também deixa as abelhas, vespas e marimbondos mais agitados e agressivos.

Para evitar problemas, o Corpo de Bombeiros Militar recomenda:

  • Evite movimentos bruscos e excessivos quando próximo a colmeias;
  • Não grite, pois as abelhas são atraídas por ruídos, principalmente os agudos;
  • Evite operar qualquer máquina barulhenta próximo a colmeias. Examine a área de trabalho antes de usar equipamentos motorizados;
  • Ensine as crianças a se precaverem e não matarem as abelhas, vespas ou marimbondos;
  • Se for atacado, proteja o pescoço e o rosto das picadas, com a ajuda de uma camisa ou outra vestimenta. Se a ferroada ocorrer na cabeça e/ou pescoço, procure imediatamente auxílio médico;
  • Pessoas alérgicas a picada de insetos devem evitar caminhadas em áreas de mata, pois, para quem é sensível à peçonha, apenas uma picada pode ser suficiente para gerar um choque anafilático;
  • Caso seja alérgico a picadas, pergunte ao seu médico o que fazer;
  • Caso alguém seja picado, é importante que se faça a remoção imediata dos ferrões, pois eles continuam liberando peçonha gradativamente. A sua retirada interrompe esse processo;
  • Após a picada, a abelha perde seu ferrão e a bolsa de peçonha e morre. Contudo, o mesmo não se aplica às vespas e marimbondos: após uma picada, eles estão prontos para atacar novamente;
  • Em casos de formação de colmeias em residências, o proprietário deve acionar uma empresa de apicultura especializada para a remoção do foco. Nos casos mais críticos, acionar o Corpo de Bombeiros pelo telefone 193.

Bombeiro Militar, o amigo certo nas horas incertas!