Minas online

 

Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais

Emergência ligue: 193

  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Pagina inicial

Choque elétrico: Saiba como prevenir e evitar

O Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais (CBMMG) alerta para que a população no seu dia a dia, seja nas residências, fábricas ou indústrias, tomem cuidado com o risco do choque elétrico.

O choque é causado por uma corrente elétrica que passa através do corpo. A intensidade da corrente elétrica que atravessa o corpo durante o choque e o caminho desta corrente elétrica pelo corpo, dependendo do seu nível de tensão, pode causar danos ao organismo da vítima.

O choque elétrico pode causar distúrbios na circulação sanguínea e, em casos extremos, levar à parada cardiorrespiratória. Na pele, podem aparecer duas pequenas áreas de queimaduras (geralmente de 3º grau), a de entrada e de saída da corrente elétrica.

Mesmo voltagens relativamente pequenas podem causar graves danos, dependendo da resistência do corpo humano. Em situações de altas tensões, como nos cabos de transmissão de energia elétrica, o contato será sempre perigoso e poderá provocar grandes lesões.

Os tipos mais prováveis de choque elétrico são aqueles em que a corrente elétrica circula da palma de uma das mãos à palma da outra mão, ou da palma da mão até a planta do pé. Existem três categorias de choque elétrico:

a) Choque produzido por contato com circuito energizado - Contato direto da pessoa com a parte energizada da instalação. O choque dura enquanto permanecer o contato e a fonte de energia estiver ligada. Pode causar pequenas contrações ou até lesões irreparáveis.

b) Choque produzido por contato com corpo eletrizado - Produzido por eletricidade estática, sua duração é muito pequena, o suficiente para descarregar a carga da eletricidade contida no elemento energizado. Na maioria das vezes não provoca efeitos danosos ao corpo, devido a curtíssima duração.

c) Choque produzido por raio (Descarga Atmosférica) - Surge quando acontece uma descarga atmosférica e esta entra em contato direto ou indireto com uma pessoa. O efeito é imediato e pode causar queimaduras graves e até mesmo a morte imediata.

Perigos com pipas, papagaio e cerol

Atenção: O uso do cerol é proibido, Lei estadual 14349/02, os responsáveis por menores que se envolverem em acidentes relacionados com o uso do cerol serão responsabilizados.

Evitando acidentes com pipas e papagaios:

  • Não solte pipas em dias de chuva, principalmente se houver relâmpagos.
  • Evite brincar perto de antenas, fios telefônicos ou cabos elétricos. Procure locais abertos como praças e parques.
  • Tente soltar pipa sem rabiola, como as arraias. Na maioria dos casos, a pipa prende no fio por causa da rabiola.
  • Não empine pipa em cima de lajes e telhados.
  • Jamais utilize linha metálica, como fio de cobre de bobinas ou cerol (mistura de cola com caco de vidro). Também não faça pipas com papel laminado. O risco de choque elétrico é grande.
  • Cuidado com ruas e lugares movimentados, principalmente quando andar para trás. Pode ter algum buraco ou pista.
  • Atenção especial com os motociclistas e ciclistas — a linha pode ser perigosa para eles. Fique atento para que a linha não entre na frente deles.
  • Se a pipa enroscar em fios, não tente tirá-la. É melhor fazer outra. Nunca use canos, vergalhões ou bambus. Ao correr atrás das pipas, muito cuidado com o trânsito.

Saiba como evitar o choque elétrico! Previna os acidentes com eletricidade:

Clique aqui para ter acesso as orientações em PDF.

Fonte: CEMIG e Da Alcantara - Engenharia
Redação: Assessoria de Comunicação Organizacional

 
Comando-Geral: Rodovia Prefeito Américo Gianetti, 4143 - 5º andar - Prédio Minas, Bairro: Serra Verde - Belo Horizonte- MG